Leiloeira Santo Eloy valoriza valor do património

A Leiloeira Santo Eloy inicia este mês a sua actividade, com a divisa de “VALORIZAR O QUE TEM VALOR”, fazendo do conhecimento e investigação das peças a leiloar, da transparência para com o público e do sentido de solidariedade social, factores de diferenciação e conquista de confiança. Num momento de profunda transformação e incerteza, a Leiloeira pretende oferecer uma alternativa ao mercado e valorizar o que tem valor.

Lisboa, 18 de janeiro de 2021 – A Leiloeira Santo Eloy abre as suas portas em janeiro de 2021, apostando, com critérios de excelência, nos leilões de Ouro, Prata, Jóias, Relógios e Pedras Preciosas e Moedas de Ouro. Especializada no setor da Ourivesaria e sustentada numa equipa com uma experiência de décadas, a leiloeira diferencia-se pelo cuidadoso processo de investigação, classificação e avaliação das peças a leiloar e pela atenção em dar a conhecer e evidenciar o seu real valor. Compromete-se a promover cursos de formação no setor da Ourivesaria, palestras, tertúlias, etc. É de acrescentar que disponibiliza serviços de restauro e recuperação de peças que contemplam todos os artigos de Ourivesaria incluindo Relógios Antigos e Modernos.

 

A nova leiloeira tem na sua génese sócios que pertencem à segunda e terceira gerações de antiquários, com uma presença de seis décadas no mercado. Uma equipa multidisciplinar e peritos experientes e de alto nível profissional garantem um elevado critério e qualidade na avaliação e classificação das peças a selecionar e apresentar ao público.

 

O objetivo da Leiloeira Santo Eloy é servir o público em geral, e em especial os colecionadores e investidores deste tipo de peças em particular, numa especificidade que é a garantia da qualidade do trabalho, valorizando o que tem valor, diferenciando um objeto comum de uma Obra de Arte e ainda com preocupação social.  

 

“Acreditamos que a nossa missão passa por trazer uma mais-valia ao mercado e disponibilizar ao público uma informação mais esclarecedora e transparente, fazendo do exemplo do carácter reto de Santo Eloy, patrono dos Ourives, o modelo para a forma aberta e íntegra como queremos estar presentes neste mercado”, diz José Baptista, Fundador da Leiloeira Santo Eloy.

 

Esta ideia de referência e elevação ajuda a explicar o porquê de encetar este projeto num cenário económico que parece contraproducente ao investimento e ao risco: trazer algo de novo ao mercado, com uma atuação pautada pela clareza na relação com o público e a procura pela partilha de conhecimento sobre as peças a seu cargo e a sua preservação.

 

A entrada da casa leiloeira no mercado acontece num contexto de particulares desafios e num ambiente de transformação no setor. O alargado impacto económico da pandemia COVID-19 trouxe consigo dificuldades financeiras para empresas e pessoas, e uma consequente procura dos leilões como forma de venda de património.

 

É em resposta a esta procura por vender a qualquer custo e perda de proximidade na relação entre leiloeira e cliente que a Leiloeira Santo Eloy se posiciona. Sob o mote de Criar Valor ao que tem Valor, a leiloeira assenta a sua atuação em cinco “C's”: Conhecimento, Competência, Compromisso, Confiança, Cumplicidade. A missão proposta encontra-se em ir além do valor mais óbvio de cada peça e atribuir o seu valor justo, considerando a sua história e relevância intemporal enquanto peça de Arte e património cultural e artístico.

 

“A casa surge sustentada na experiência de décadas e capacidade técnica de uma equipa especializada e com um propósito perfeitamente definido: dar valor ao que tem valor. Vemos como de suma importância esta capacidade de realizar uma investigação profunda de cada uma das peças a leiloar, conseguida através de um estudo mais profundo do seu percurso, dos seus mestres, das suas técnicas, entre outros elementos de avaliação” acrescenta José Baptista, há muitos anos umas das referências do setor em Portugal.  

 

As regras de distanciamento social obrigaram a uma adaptação à digitalização do mercado, com a impossibilidade de realizar eventos de carácter presencial a conduzir a um exponencial aumento dos leilões online. No âmbito desta adaptação e da sua missão, a Leiloeira Santo Eloy propõe-se a realizar leilões temáticos, criando parcerias com instituições humanitárias, a ministrar cursos de formação e a organizar palestras e tertúlias abertas ao setor de ourivesaria e ao público em geral (presenciais e online).

 

Um leilão solidário, a ter lugar em março de 2021, destinado a apoiar a missão da Associação Médicos do Mundo marca ainda o início da atividade da leiloeira. 5% das receitas conseguidas na iniciativa, que vai contar com um catálogo de peças cedidas por doadores da associação e particulares, terão como objetivo a angariação de recursos para a disponibilização e cuidados de saúde a populações carenciadas, nas áreas do VIH/SIDA, doenças crónicas e debilitantes, saúde mental, apoio psicossocial e exclusão social.

 

Sobre a Leiloeira Santo Eloy:

A Santo Eloy é a mais recente leiloeira no mercado nacional, tendo iniciado a sua atividade em janeiro de 2021.

Diferencia-se pela aposta na Ourivesaria, com destaque para o Ouro, as Pratas, as Jóias, os Relógios, as Pedras Preciosas, e Moedas de Ouro. Sendo especializada no setor de Ourivesaria, encontra-se melhor preparada e apetrechada para servir bem os colecionadores deste tipo de peças, possuindo uma maior competência e disponibilidade para a informação e investigação das peças a leiloar.

Pauta a sua atuação pelos cinco “C's” de Conhecimento, Competência, Compromisso, Confiança, Cumplicidade, possíveis numa equipa multidisciplinar e com provas dadas no mercado. Os seus peritos são experientes e de alto nível profissional, e exibem um elevado critério e qualidade nas peças que selecionam e apresentam. A leiloeira procura a valorização das peças a seu cargo, através de um estudo mais profundo da sua história, dos seus mestres e das suas técnicas, e a criação de mais valia para o mercado, através de uma informação mais esclarecedora e transparente.